Ezequiel Ferreira é a aposta da oposição ao governo, contra Fátima

Ezequiel ferreira solicita retomada e conclusão de terminal turístico em apodi 

Rejeitado pela oposição para disputar o governo do Rio Grande do Norte contra a governadora Fátima Bezerra (PT), que concorrerá a reeleição, o líder do PDT no Estado, Carlos Eduardo Alves, teve seu nome descartado pelo grupo formado pelo prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) e o ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (PL), que agora sonham compor chapa majoritária com o presidente da Assembleia Legislativa do RN, deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB).

De acordo com apuração feita pela reportagem do AGORA RN, no sábado 29, durante reunião na casa de praia de Álvaro Dias, em Tabatinga, o prefeito e o ministro Rogério comunicaram a Carlos Eduardo que não iriam mais apoiá-lo em uma possível pré-candidatura ao cargo de governador do Rio Grande do Norte e também não estavam mais dispostos a aguardar que o pedetista decidisse qual cargo eletivo pretende pleitear.

Álvaro teria deixado bem claro para Carlos Eduardo que apoiará o ministro Rogério Marinho para a cadeira de senador. E, como Carlos Eduardo tem dito que não sobe no palanque do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas eleições deste ano, já que apoiará o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) à presidência, assim, o pedetista também descarta qualquer apoio que venha do ministro das Comunicações Fábio Faria (PSD), que defende a reeleição de Bolsonaro.

Segundo informações de bastidores, Álvaro Dias e Rogério Marinho estão dispostos a construir diálogos com Fábio, para juntos, unirem forças em torno de uma chapa que tenha força suficiente para tirar a governadora Fátima Bezerra da gestão do Estado, já que a oposição não apresentou um nome com capilaridade para bater de frente com a petista. O objetivo é lançar o nome de Ezequiel Ferreira como o candidato da oposição contra a governadora do PT.

Embora Ezequiel tenha participado das conversas deste fim de semana, ainda não bateu o martelo e também não descartou a possibilidade de ser o candidato da oposição. Ele afirmou que, no momento, está avaliando o cenário. Caso essa possibilidade se torne concreta, seria viável Rogério Marinho concorrer ao Senado contando com o apoio do PSDB.

E agora, Carlos Eduardo?

Diante do impasse, só resta a Carlos Eduardo Alves tentar emplacar, junto ao PT no RN, uma chapa para o Senado Federal. No entanto, terá que brigar com o atual senador petista Jean Paul Prates, que conta com o total apoio do PT potiguar para sua reeleição.

E, como Walter Alves será indicado pelo MDB para ser o vice-governador de Fátima e Garibaldi Alves Filho para a Câmara Federal, não cabe espaço para Carlos Eduardo nessa chapa majoritária. Assim, o ex-prefeito de Natal segue isolado, sem forças ou apoio político no interior do Estado. Embora tenha percorrido cidades do RN, o pedetista não tem grupos políticos nos municípios do Rio Grande do Norte, complicando ainda mais a sua situação.

Já Fátima Bezerra não vai deixar de ter em seu palanque o deputado federal e presidente estadual do MDB, Walter Alves, e seu pai, Garibaldi Alves Filho em seu palanque, trazendo com eles apoio direto de 38 prefeitos no Estado.

Além disso, membros do PT no RN também rejeitam Carlos Eduardo na campanho de Fátima. Eles são favoráveis à reeleição do senador Jean Paul, e rejeitam qualquer laço político com ex-prefeito, que cada vez mais perde espaço na política do RN.

 

Comentários

Postagens mais visitadas