Garibaldi Filho é convidado para reunião com o ex-presidente Lula em Brasília

 

As mobilizações entre os partidos políticos visando fortalecer seus aliados para as eleições gerais de 2022 estão ocorrendo a todo gás. Em Brasília, lideranças do Partido dos Trabalhadores (PT) têm participado de uma série de reuniões desde domingo (3), quando o ex-presidente Lula deu início à sua agenda política com um jantar para governadores e lideranças petistas da região Nordeste, onde discutiram a atual conjuntura nacional, reestruturação e novos rumos para o país.

A agenda de encontros segue durante a semana, incluindo os líderes do MDB, a exemplo do ex-senador Garibaldi Alves, que foi convidado para integrar a reunião prevista para esta quarta-feira (6), com o ex-presidente Lula. Mesmo sem exercer mandato atualmente, Garibaldi, que ocupou a cadeira de ministro da Previdência Social durante o governo Lula, foi uma das figuras políticas requisitadas para o encontro. O convite ao ex-governador potiguar sinaliza ainda mais fortemente no sentido da formação da aliança entre os dois partidos no RN. No entanto, ele afirmou ao Agora RN que teve que declinar do convite por motivos de força maior.

“Fui convidado sim, pelo senador Eunício Oliveira, mas infelizmente não posso me ausentar do Estado essa semana, não vou poder ir. Conversei brevemente com ele e expliquei meus motivos, que foram entendidos. Não sei o tema da reunião. Aliás, ele me disse que seria uma confraternização, mas quando tem políticos no meio, sempre acabamos falando um pouquinho em política, né”, sorriu Garibaldi.

O convite a Garibaldi reacende as especulações sobre uma possível aliança entre PT e MDB no Rio Grande do Norte, que tiveram início em agosto passado, quando o ex-presidente Lula passou três dias em visita oficial ao Estado. Na ocasião, um jantar entre o ex-metalúrgico e lideranças potiguares do MDB, a exemplo do ex-senador Garibaldi e o deputado federal Walter Alves levantou a possibilidade de uma chapa Fátima-Walter para concorrer ao governo do Estado.

A reunião desta quarta-feira (6) reforça a ideia de aliança entre os dois partidos, que poderá ser reproduzida em outros estados. Por enquanto, essa possibilidade segue sendo analisada por ambos os lados, uma vez que conversas têm sido realizadas e possíveis entendimentos podem vir a ocorrer em breve, diante do foco dos envolvidos em se apresentar como a única via com real condição de enfrentar e vencer o presidente Jair Bolsonaro nas urnas em 2022.

Os encontros seguiram nesta segunda-feira (4), quando os governadores aproveitaram para abordar temas como economia, educação, saúde e segurança pública. Gestora no Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra participou dos encontros, assim como Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará) e Wellington Dias (Piauí), além da vice-governadora Eliane Aquino (Sergipe) e do senador Jaques Wagner (Bahia). A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann também participou do momento.

O ex-presidente Lula se reuniu ainda com integrantes das bancadas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, quando ouviu e conversou com os congressistas em suas demandas. “Em reunião com o presidente Lula e a bancada petista no Congresso Nacional semeando a esperança de um Brasil que seja grande, forte, do tamanho dos nossos sonhos, com a nossa cara, um Brasil de oportunidades”, disse a deputada federal Natália Bonavides, em uma rede social.

Comentários

Postagens mais visitadas