Mortes de profissionais de saúde desabam no Brasil, mas medo de nova onda da Covid aumenta

 

Levantamento sobre mortes entre profissionais de saúde em todo o Brasil mostra que a vacinação contra a Covid-19 nesses profissionais vem alcançando efeitos positivos. No último trimestre, houve redução de 77,5% nos óbitos contabilizados entre médicos, enfermeiros e técnicos, em relação ao trimestre anterior.

No total, foram 339 mortes ocorridas em março, abril e maio deste ano, contra 76 em junho, julho e agosto. Os números foram compilados pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, junto aos dados coletados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).

No total, durante a pandemia, 825 profissionais da enfermagem e 844 médicos de diversas especialidades morreram devido a complicações da Covid-19, totalizando 1.669 vítimas.

Na análise por unidade federativa, São Paulo, Rio de Janeiro e Amazonas tiveram o maior número de falecimentos, com 171, 162 e 136 óbitos de profissionais de saúde, respectivamente. Goiás e Distrito Federal estão em 7º e 19º lugares, com 73 e 36.

As entidades, porém, alertam para uma possível subnotificação dos dados, o que mascararia a existência de mais casos. Segundo o CFM, por exemplo, os informes diminuíram consideravelmente nos últimos dois meses.

Comentários

Postagens mais visitadas