Mais de 400 grávidas que tomaram vacina Astrazeneca no RN devem procurar 2ª dose 45 dias após o parto

No Rio Grande do Norte, 403 mulheres grávidas que tomaram a primeira dose da vacina de Oxford/Astrazeneca contra a Covid-19 só poderão tomar o reforço do imunizante 45 dias após o parto. A recomendação é da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). De acordo com a Sesap, a recomendação é que as grávidas que já iniciaram o processo de imunização com a vacina de Oxford/Astrazeneca devem completar o esquema com o mesmo imunizante. No entanto, as mulheres só podem tomar a segunda dose após puerpério – 45 dias após o nascimento do bebê. A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou, em 10 de maio, a suspensão imediata da aplicação da vacina contra Covid da Astrazeneca em grávidas. O texto da nota emitida pela agência reguladora diz que a orientação é que “seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) a indicação da bula da vacina Astrazeneca e que a orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas Covid em uso no país”. A Anvisa não relatou nenhum evento adverso ocorrido em grávidas no Brasil. Rio de Janeiro Nesta terça-feira 29, a Prefeitura do Rio autorizou que grávidas que tomaram a vacina da Astrazeneca contra a Covid na primeira dose recebam a da Pfizer na segunda aplicação. É a primeira capital brasileira a adotar a combinação de imunizantes. Resultados preliminares de estudos internacionais, citados pelo comitê científico do município, dizem que a mistura das doses traz resultados eficazes contra o coronavírus. Cada grávida terá de procurar seu obstetra e levar um atestado para que receba a dose de reforço — respeitando a janela de três meses.

Comentários

Postagens mais visitadas