terça-feira, 18 de agosto de 2020

Mulher que preparava quentinhas é baleada em casa durante ação policial em Natal; comunidade protesta

Uma mulher de 51 anos foi baleada enquanto preparava quentinhas para vender, na manhã desta segunda-feira (17), em Natal. O caso aconteceu no bairro Passo da Pátria, na Zona Leste da capital. No momento, havia uma perseguição policial na região. Moradores fizeram um protesto e chegaram a fechar uma avenida por cerca de 1 hora e meia.

Em nota, a Polícia Militar confirmou que acontecia uma perseguição policial contra suspeitos que teriam atirado contra uma equipe, quando uma senhora da comunidade pediu apoio para ser levada ao hospital, vítima de disparos de arma de fogo. Ninguém informou de onde partiram os tiros que atingiram a vítima. A PM informou que as circunstâncias da ocorrência serão apuradas pela Polícia Civil.

Segundo familiares, a vítima preparava quentinhas e estava indo para fora de casa para entregar uma das marmitas, quando foi baleada. Ela está internada no Hospital Walfredo Gurgel e teve três perfurações por tiros – duas em um braço e uma no peito. Ainda de acordo com familiares, durante a tarde ela passou por um procedimento para drenagem do pulmão e os médicos informaram que o seu quadro de saúde é estável.

Segundo a Polícia Militar, uma viatura estava em patrulhamento na região quando foi surpreendida por um grupo com cerca de quatro pessoas que atiraram contra a equipe. “Durante o patrulhamento, uma senhora da comunidade solicitou o apoio do efetivo policial para ser conduzida ao hospital, vítima de um disparo de arma de fogo”, disse a PM, na nota.

A família afirmou que os policiais ofereceram ajuda para acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, mas os próprios familiares levaram a mulher de carro ao hospital, 
para agilizar o atendimento.

Após a ocorrência, moradores do bairro Passo da Pátria fecharam a avenida Governador Rafael Fernandes com pneus e pedaços de árvores por cerca de uma hora. A manifestação foi acompanhada por policiais e agentes de trânsito do município. Os moradores reclamaram da forma como a operação policial foi conduzida.

G1 RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário