segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Mais de 5.500 pessoas foram mortas no RN nos primeiros semestres dos últimos seis anos

O Rio Grande do Norte registrou um aumento de quase 11% no número de crimes letais contra a vida no primeiro semestre deste ano. Segundo a revista do OBVIUM “1º semestre de 2020 comparado ao mesmo período dos anos de 2015 a 2019”, foram 807 mortes nos seis primeiros meses de 2020.
No mesmo período do ano passado, a publicação registra que foram 729 mortes, o que corresponde a um crescimento de quase 11% entre janeiro e junho deste ano. O estudo aponta que abril foi, até então, o mais violento de 2020, com 157 crimes; e junho, o menos com 120. Já no primeiro semestre de 2019, março foi o mais violento, com 149 crimes; e fevereiro, o menos, com 103.
E a violência homicida no estado também esteve presente nos primeiros semestres dos quatro anos anteriores. Foram 1.038 mortes em 2018, 1.209 em 2017, 984 em 2016 e 788 em 2015, totalizando 5.555 casos nos seis primeiros meses dos últimos seis anos. Desse total, a revista revela que quase 80% foram de homicídios dolosos; 8,6% de lesão corporal seguida de morte; pouco mais de 6% de intervenção policial; 4% latrocínio; e menos de 2% de feminicídio (80 casos).
O estudo cita que a lesão corporal seguida de morte, que representa 8,6% das ocorrências, aumentou 89,7% entre os primeiros semestres de 2015 e 2019; e que a intervenção policial, que corresponde a 6,4% do total, aumentou 117,9% no mesmo período. A violência nesse período analisado também atingiu os profissionais da segurança pública. Foram 55 mortes, entre policiais militares e civis, dentre outras categorias.
“A vitimização de profissionais da segurança pública teve nos policiais militares a metade das ocorrências (49,1%), seguido pelos policiais militares aposentados (29,1%). Infelizmente, o período de 2015-2020 foi marcado pelo aumento de 66,7% deste tipo de ocorrência”, ressaltou outro trecho da pesquisa. Já quanto à letalidade da intervenção policial, foram 357 mortos em alegados confrontos com as forças de segurança pública.
“Em relação à letalidade em intervenção policial, 95,2% das ocorrências foram em confronto com policiais militares, fenômeno relacionado à atuação dos policiais militares no policiamento ostensivo, em paralelo à concentração da violência nas vias públicas”, frisou o estudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário