terça-feira, 17 de abril de 2018

Um em cada quatro seridoenses aponta a falta segurança como um dos principais problemas da região

Outrora uma das regiões mais tranquilas do Rio Grande do Norte, o Seridó dos dias atuais não reflete mais a paz vivida no passado. Quem atesta a triste realidade é o próprio seridoense, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Agorasei no chamado Seridó antigo, que engloba 24 municípios.
Numa questão em que os entrevistados responderam quais seriam os três principais problemas que afligem a região, 25,7% apontaram a falta de segurança como um deles. Foi o segundo maior problema citado pelas pessoas ouvidas, perdendo apenas para as deficiências na Saúde, que somaram 52,6%. A falta d’água apareceu em terceiro lugar, com 23,7%.
A sensação de insegurança é mais sentida nos maiores municípios da região. Currais Novos aparece em primeiro lugar, com 35,2% das citações; Florânia em segundo, com 33,3% (é a única cidade de menor porte entre os cinco primeiros); Parelhas em terceiro, com 30,5%; Caicó em quarto, com 30,2% e Jucurutu em quinto, com 28,4%.
Na outra ponta se encontram municípios pequenos onde a violência ainda não aflige tanto a população. Bodó é a cidade com a menor citação da falta de segurança, com apenas 6,2%. Santana do Seridó aparece em seguida, com 8,3%; Equador, com 8,7%; Ipueira, com 10% e Serra Negra do Norte, com 14,3%.
Sobre a pesquisa
A pesquisa foi realizada entre os dias 18 e 23 de fevereiro deste ano e ouviu 1.200 pessoas de 16 anos acima nos 24 municípios do Seridó antigo. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 2.8 pontos percentuais, para mais ou para menos, sobre os resultados totais da amostra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário