segunda-feira, 9 de abril de 2018

Polícia Civil prende quadrilha suspeita de furtos a bancos na Grande Natal

Material apreendido pela Polícia Civil foi levado para a sede da Deicor (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Operação aconteceu na madrugada deste domingo (8) em Parnamirim. Segundo Deicor, grupo de Pernambuco seguia para uma agência bancária em Natal. 

Uma quadrilha de roubos a bancos foi presa em Parnamirim, região metropolitana de Natal, na madrugada deste domingo (8), em uma operação da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor).

De acordo com a Polícia Civil, os quatro suspeitos, que são pernambucanos e têm entre 39 e 55 anos, estavam com materiais usados em ataques a banco e teriam confessado que faríam um ataque a um banco na capital potiguar.

A prisão dos suspeitos aconteceu por volta das 3h. Conforme a Polícia Civil, os investigadores receberam informações de que uma quadrilha especializada em furtos em agências bancárias, utilizando equipamentos de cortes estaria na cidade.

Durante buscas, a polícia identificou um dos carros da quadrilha, onde estavam os suspeitos. Eles foram abordados e levaram as equipes policiais até a casa onde estavam escondidos, no bairro Jóquei Clube.

Na casa, segundo a polícia, havia mais de R$ 20 mil em espécie, vários documentos, equipamentos utilizados para o corte dos caixas eletrônicos, munições de calibre 9mm, além de um caminhão, que seria usado para fazer levantamento das agências que seriam alvo, além de transportar ferramentas e pessoas.

"Diante da farta materialidade encontrada, os meliantes foram encaminhados para a sede da Deicor, a fim de serem submetidos aos procedimentos cabíveis. No momento do interrogatório, os meliantes confirmaram que estavam indo furtar uma agência bancária na Av. Prudente de Morais, Cidade de Natal/RN", informou a Polícia Civil.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, os suspeitos já possuem antecedentes criminais por roubo ou furto a bancos. Um deles era considerado foragido, porque estava com mandado de prisão em aberto. Outro suspeito também deverá responder por falsidade ideológica. Segundo a Deicor, ele apresentou documentos falsos tentado enganar os policiais.



Os investigadores reafirmam o compromisso com a sociedade e alertam para aqueles que teimam em cometer crimes aqui no Estado, saibam que serão descobertos e presos com o máximo rigor da lei, custe o que custar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário