terça-feira, 6 de março de 2018

Mercado Livre obtém liminar contra reajuste dos Correios aos seus usuários

Mercado Livre obtém liminar contra reajuste dos Correios aos seus usuários
Na semana passada, os Correios anunciaram um reajuste no valor do frente, o que deixou o Mercado Livre, que depende profundamente dos serviços de entrega da estatal, bastante irritado. Agora a empresa de comércio eletrônico decidiu acionar a Justiça para obter uma liminar que impedisse o reajuste de valer.
A liminar chega após campanha do Mercado Livre contra o reajuste que chegou a ganhar tração nas redes sociais com a hashtag #FreteAbusivoNão. A empresa diz que “uma medida unilateral dos Correios pode impactar seriamente a inclusão geográfica, digital e econômica, especialmente para aqueles clientes das regiões mais remotas do país”.
Vale ressaltar, no entanto, que a liminar obtida pelo Mercado Livre pela Justiça Federal restringe o congelamento de preços aos usuários do marketplace da empresa para anunciar e comprar produtos pela plataforma. Desta forma, os Correios estariam proibidos de aplicar não apenas o reajuste nos preços das entregas como também não podem aplicar a taxa extra de R$ 3 cobrada em entregas no Rio de Janeiro por questões de segurança.
A disputa entre as empresas vai além do mero reajuste; as duas sequer chegam a um acordo sobre qual foi o percentual de aumento final. Os Correios anunciaram um reajuste de 8% nas entregas entre capitais, o que é acima da inflação acumulada de 2017, mas não chega a assustar. No entanto, o Mercado Livre bate na tecla que esses 8% referem-se apenas ao transporte de mercadorias entre capitais brasileiras; quando o cálculo envolve duas cidades interioranas e o transporte de mercadorias entre estados, o reajuste pode chegar a 51%, com uma média de 29%.

“Uma postagem de um objeto que pese até 500g, via PAC, e tenha como origem São Paulo-SP e destino Brasília-DF, passará a custar, de R$14 para R$15 (8%). Já um envio de um produto de até 500g que saia de Caxias do Sul-RS e seja enviado, via PAC, para Recife-PE passará a custar de R$ 54 para R$ 82, ou 51% a mais”, afirma o comunicado do Mercado Livre.
Diante da liminar, os Correios dizem acatar a decisão judicial, mas afirmaram ao Olhar Digital por meio de comunicado que já estão trabalhando para obter a suspensão da liminar. A estatal também ressalta que o congelamento dos preços vale apenas para as demandas do Mercado Livre.

VIA OLHAR DIGITAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário