quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Evangélico vai consertar som na Igreja da Favela das Malvinas e sofre tiro na cabeça

Evangélico vai consertar som na Igreja da Favela das Malvinas e sofre tiro na cabeça
Dito por moradores e confirmado pela polícia. Existe setores nos quatro cantos de Mossoró/RN que é muito perigoso para um desconhecido da referida comunidade entrar. Corre-se sério risco de ser baleado, mesmo sendo um cidadão de bem que está no local para fazer o bem.
No início da tarde desta terça-feira, 13, o Irmão Josenildo João de Moura, de 58 anos, foi em sua camioneta na Igreja Evangélica na Favela das Malvinas, na região Leste de Mossoró, consertar um aparelho de som da igreja da comunidade e terminou levando um tiro na cabeça.
Os atiradores, segundo policiais que trabalham no setor informaram ao MOSSORÓ HOJE, poderiam está imaginado ser inimigos procurando eles para matar e, assim, revidaram antes atirando na carroceria da camioneta. A bala atravessou e acertou a cabeça do evangélico.
Irmão Josenildo foi socorrido para o Hospital Regionial Tarcísio Maia, onde se encontra em estado grave. Nas redes sociais, os amigos pedem orações pela vida do membro da igreja. Na polícia, praticamente não existe informações a respeito de quem tenha efetuado os tiros.
Este tipo de ocorrência pode acontecer e já aconteceu também na temida Rua João Damásio, no bairro Belo Horizonte, região Sul de Mossoró. Nesta mesma região se tem conhecimento de ataques/defesa na região da Favela do Pantanal e no Bom Jesus.
É assim também na Favela do Ouro Negro e no bairro Aeroporto II (perto da Rodoviária), bem como na Favela do Fio e Parque das Rosas (respectivamente nas imediações do Abolição IV e Santa Delmira), na região Oeste de Mossoró-RN.
É recomendado pelos próprios moradores e confirmado por policiais ter muita cautela ao se aproximar, em especial à noite, do Loteamento Santa Helena, da região do Love Time e da Favela do Cachorro Assado, no bairro Santo Antônio, região Norte de Mossoró.
Eventos deste porte também já foram registrados na Rua Anatália do Melo Alves, no bairro Paredões, na Favela do Pirrichil (Ilha Santa Luzia/Alto São Manoel), bem como no bairro Planalto 13 de Maio (Papoco). Nestes bairros já aconteceram diversas mortes, inclusive de criança, com tiros aleatórios.
Em todas estas áreas, as equipes do SAMU quando são acionadas para socorrer alguém, só o faz com escolta policial.
Em outra ponta, falta policiais militares para fazer patrulhamento preventivo e praticamente não existe políciais civis para investigar as ocorrências de crimes contra a vida não só nestas comunidades, mas em todas da região de Mossoró-RN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário