terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Governo Robinson só quer pagar se os policiais terminarem com a paralisação

O governador Robinson Faria disse que o pagamento dos policiais grevistas só seria feito no sábado caso eles acabassem com a paralisação. A declaração foi dada à Inter TV Cabugi, após a reunião do governador com o arcebispo Dom Jaime Vieira Rocha.
O chefe do poder Executivo arguementa que a paralisação é política e diz “ser preciso pensar no cidadão”. Ele nega faltarem condições para os policiais trabalharem ao citar que foram comprados carros e motos, além de serem feitos investimentos em tecnologia. “Isso é desculpa. Pano de fundo para dizer que não estão em greve”.
Em abril de 2017, o Supremo Tribunal Federal confirmou a inconstitucionalidade do direito de paralisação dos servidores de segurança, proibindo qualquer tipo de paralisação. A decisão teve repercussão geral, o que significa que deve ser seguida por todas as instâncias da Justiça. A ação foi ingressada pelo governo de Goiás, contra uma decisão do Tribunal de Justiça daquele estado, que considerou ilegal uma paralisação de 2012 realizada por policiais civis.
O artigo 142 proíbe a sindicalização e paralisação das Forças Armadas, uma vez que a falta do serviço representa um risco para a manutenção da ordem.
A paralisação entrou em sua terceira semana e os policiais apresentaram 18 reivindicações ao governo para que ela fosse encerrada. Entre elas, o pagamento dos salários e melhoria das condições de equipamentos e viaturas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário