terça-feira, 27 de junho de 2017

Presos piloto e copiloto de avião interceptado com mais de 600 kg de cocaína em Goiás

Presos piloto e copiloto de avião interceptado com mais de 600 kg de cocaína em Goiás
Polícia Federal prendeu, no início da noite desta segunda-feira (26), o piloto e o copiloto do avião bimotor interceptado pela Força Aérea Brasileira (FAB), no fim de semana, com 634 kg de cocaína, em Jussara, na região noroeste de Goiás.
Segundo apurou a TV Anhanguera, os dois ocupantes da aeronave são o piloto Apoena Índio do Brasil e o copiloto Fabiano Júnior da Silva. Eles disseram à PF que trouxeram a droga da Bolívia e que, ao contrário do que a FAB divulgou, não estiveram na fazenda Itamarati Norte, no Mato Grosso, arrendada para a empresa Amaggi, da família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi.
Detidos na cidade de Itapirapuã, a 40 km de Jussara, eles também informaram que tinham como destino o município goiano. Piloto e copiloto foram transferidos para a Superintendência da Polícia Federal, em Goiânia, onde chegaram por volta de 20h50.
Até as 22h50, o G1 e a TV Anhanguera não haviam conseguido informação sobre as defesas dos dois detidos.
A aeronave foi interceptada, na tarde de domingo (25), em uma operação conjunta entre a FAB e o Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer), na zona rural de Jussara, que fica a cerca de 225 km de Goiânia.
Inicialmente, a FAB afirmou que o piloto da aeronave disse ter decolado da Fazenda Itamarati Norte. No entanto, nesta tarde, o órgão divulgou nota oficial informando que “a confirmação do local exato da decolagem fará parte da investigação conduzida pela autoridade policial”.
Por meio de seu perfil em uma rede social, o ministro Blairo Maggi postou que “está acompanhando as investigações da FAB sobre o local de decolagem da aeronave”. Disse que, quando houver uma confirmação, ele informará. Ele comentou ainda que a “fazenda é extensa e vulnerável à ação do tráfico internacional”.
Ministro da Agricultura Blairo Maggi se pronunciou sobre local de saída da aeronave que transportava mais de 600 kg de cocaína em rede social Goiás (Foto: Reprodução/Twitter)
Já a Amaggi disse por meio de nota que “não tem qualquer ligação com a aeronave descrita pela FAB e não emitiu autorização para pouso/decolagem da mesma em qualquer uma de suas pistas”.
Apreensão
O tenente-coronel da Polícia Militar, Ricardo Mendes, afirmou durante coletiva nesta manhã que a cocaína encontrada era pura. “Ainda poderia ser misturada, e a quantidade, multiplicada. Essa foi a maior apreensão de cocaína da história por parte da PM em Goiás”, disse.
A PM informou ainda que foi acionada logo no início da interceptação da aeronave. “O Graer foi chamado pelo fato da aeronave já estar em espaço aéreo de Goiás e pela mobilidade do helicóptero da polícia de conseguir pousar em locais mais difíceis, coisa que o avião da FAB não conseguiria”, informou Mendes.
A cocaína apreendida foi levada para a sede da PF, em Goiânia.
Avião com mais de 600 kg de cocaína é interceptado em Jussara, Goiás (Foto: Divulgação/PM)
De acordo com o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, o bimotor decolou na tarde domingo de uma fazenda na cidade de Campo Novo do Parecis, no Mato Grosso, com destino a Santo Antônio de Leverger, no mesmo estado.
Um avião da FAB começou a fazer o acompanhamento da aeronave e ordenou que o bimotor mudasse a rota e pousasse no Aeródromo de Aragarças, em Goiás. Segundo o comunicado do órgão, inicialmente, o piloto do bimotor obedeceu às ordens, mas, ao invés de pousar, desviou o curso.Com isso, o avião da FAB “executou um tiro de aviso” para fazer a aeronave cumprir as ordens. O órgão esclareceu ainda que o disparo não atingiu nenhuma parte do bimotor. A aeronave então pousou na zona rural de Jussara. Na aterrissagem, a asa da aeronave e a cauda ficaram danificadas.

VIA G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário