quarta-feira, 14 de junho de 2017

Justiça condena PM acusado de envolvimento na morte de lutador de MMA em Natal

Justiça condena PM acusado de envolvimento na morte de lutador de MMA em Natal
A Justiça condenou o soldado da Polícia Militar Moisés Gonçalo do Nascimento a seis anos de prisão pelo crime de homicídio simples. Ele é acusado de participação no assassinato do lutador de MMA Luiz de França Sousa Trindade.
Como ele já estava há três anos custodiado em uma casa de saúde, sob a alegação de ter problemas mentais, o acusado vai cumprir o restante da pena em liberdade. A sentença também determinou a expulsão do réu da Polícia Militar.
O crime aconteceu em fevereiro de 2014 na frente de uma academia de musculação e artes marciais no conjunto Cidade Satélite, onde a vítima dava aulas. ‘Luizinho’, como era mais conhecido, tinha 25 anos.
O júri popular durou mais de 12 horas. Acusação e defesa travaram longos debates sobre a condição psiquiátrica do servidor público e também sobre as provas que incriminavam o réu.
A promotoria sustentou a versão de que o soldado pilotou a moto que levou e deu fuga ao principal suspeito de ser o autor do assassinato, o tenente da PM, Iranildo Félix. A defesa do PM disse que as provas não eram consistentes.
A mãe dde Luiz de França, Auta Maria Pedroza, saiu chorando do julgamento. “Foi péssimo, mas Deus vai fazer a justiça dele”, disse.
O autor dos disparos, no caso, seria o tenente da PM Iranildo Félix, que em dezembro de 2015 foi encontrado morto dentro do 5º Batalhão, onde estava preso. Na época, a Polícia Militar declarou que um agente foi levar a comida do tenente e o encontrou enforcado com um lençol. Iranildo negava o crime.
As investigações apontaram que a morte de Luizinho foi motivada por um desentendimento entre o tenente e o lutador durante treinamentos que ambos faziam na academia.

VIA G1/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário