domingo, 6 de novembro de 2016

CAERN mostra o nível atual da barragem Armando Ribeiro Gonçalves

barra
O Blog do Danilo Evaristo teve acesso com exclusividade a um vídeo produzido no final do mês de outubro passado, pela CAERN – através do gestor do sistema adutor da Serra de Santana e Jucurutu, Carlos Magno Soares – mostrando com detalhes como vem sendo feito ao longo dos últimos meses os trabalhos de extensão das encanações da adutora Serra de Santana e da adutora de engate rápido de Jucurutu, para manter o abastecimento em funcionamento.
“Os prolongamentos das tubulações das adutoras, barragem à dentro, são necessários para manter o abastecimento dos municípios atendidos pelo sistema Serra de Santana e pela adutora de engate rápido de Jucurutu. A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, que não recebeu recargas consideráveis, está secando rapidamente, e com isso temos que mudar periodicamente o ponto de captação”, explicou Carlos Magno Soares, o popular “Peixe”, em contato com o Blog neste fim de semana.
“Hoje a população de Jucurutu e dos municípios atendidos pela adutora Serra de Santana recebem água nas torneiras, devido exatamente aos trabalhos de extensão nas tubulações, executados periodicamente pelos funcionários da CAERN desde o ano de 2013, quando foi feita a primeira mudança na captação”, disse Carlos Magno Soares.
Carlos Magno contou que a extensão das tubulações das adutoras para mudar o local de captação, já percorreu cinco quilômetros e meio. “Somados todos os serviços de extensão das tubulações para mudança do local de captação de água, desde 2013, já foram percorridos um total de cinco quilômetros e meio. Ou seja, já adentramos mais de cinco quilômetros na barragem para poder manter o abastecimento de sete municípios da região Seridó”, contou Carlos Magno Soares.
As imagens capturadas objetivam mostrar a população, a real situação em que se encontra o maior reservatório do Rio Grande do Norte. O material contém a narração de José Eudes, engenheiro da CAERN, relatando detalhadamente as periódicas mudanças do ponto de captação, realizadas desde a primeira extensão das tubulações, feita no ano de 2013. José Eudes conta que a intenção da realização da última extensão das tubulações finalizada no fim de outubro é abastecer os municípios atendidos pelo sistema Serra de Santana e adutora de Jucurutu até o final do ano, “com a ajuda de Deus”, disse ele.
José Eudes afirma que a população precisa entender e acreditar, a partir das imagens capturadas na barragem, que a crise hídrica é real. Ele diz que as pessoas precisam usar todos os métodos de economia de água. “É lamentável a situação que nós estamos atravessando. Pedimos para as pessoas entenderem o nosso trabalho, enaltecer o trabalho da equipe da CAERN, dos nossos técnicos que não mediram esforços, dormindo fora de hora, porque tinha que dá uma resposta ao consumidor dos sistemas Serra de Santana e Jucurutu”, relatou José Eudes.
Em um dos trechos do vídeo, José Eudes, conta que o famoso Poço dos Cavalos – antigo local de captação das adutoras -, antes mesmo, de ser construída a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, jamais secou, através da perenização do Rio Piranhas. “E as pessoas que aqui viviam, diziam muito: esse poço jamais secará, nem com os castigos de Deus, e olha a situação que se encontra. Isso pra se ter uma ideia da dimensão da seca que estamos atravessando”, diz ele no vídeo. As fortes imagens mostram vários trechos que formam à barragem, totalmente secos, onde antes eram submersos com água em abundancia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário