quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Procura pela 'carteira ACC' para cinquentinhas aumentou

O número de condutores dos ciclomotores de 50 cilindradas que tem procurado a sede do Departamento de Trânsito do Rio Grande do Norte em Mossoró aumentou nas últimas semanas. A informação foi repassada pelo diretor da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), Nogueira de Dodoca, a reportagem do De Fato.com na manhã desta quarta-feira, 26.
A grande procura é devido a exigência da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para os condutores das chamadas cinquentinhas, que passa a valer a partir da próxima terça-feira, 1º. A aplicação dessas multas foi adiada 3 vezes: a previsão inicial era começar em março passado.
Segundo Nogueira de Dodoca, o número de procedimentos nos últimos dias saltou para entre 170 e 180. Antes, eles não passavam de 60.
“A população viu que não ia ser adiada mais uma vez essa exigência tem procurado o Detran para fazer sua CNH. Antes tínhamos cerca de 60 atendimentos deste tipo, agora saltou para 170, 180 nos últimos dias”, falou o diretor da Ciretran informando que as categorias A e ACC, exclusiva para os condutores dos ciclomotores, tem sido mais requisitadas.
“A Categoria ACC, que é exclusiva para os condutores das cinquentinhas é que tem saído mais, até mesmo pelo preço que é cobrado pelas Auto Escolas, que gira em torno de quinhentos reais. Também tem saído muito procedimento para a categoria A, mas essa é um pouco mais cara, que custa em torno de R$ 1.500,00”.
Nogueira chama a atenção da população que o Detran também tem expediente no período da tarde e não somente pela parte da manhã. “Quero chamar a atenção das pessoas que estão vindo ao Detran que temos também expediente na parte da tarde. Muitos procuram a gente logo pela manhã, sendo que na tarde o movimento é bem mais tranquilo. Só a parte de registro é que não funciona”.
Quem for pego conduzindo "cinquentinha" sem habilitação cometerá infração gravíssima com multa agravada, que é multiplicada por 3. Assim, como a penalidade para infração gravíssima subirá para R$ 293,47 em 1º de novembro, a cobrança por rodar sem habilitação chegará a R$ 880,41. O veículo também poderá ser apreendido.
Para guiar "cinquentinha" é preciso ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) na categoria A, para motos, ou a ACC, um documento pouco conhecido do público.

Edinaldo Moreno/Da redação

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário